quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Bolsa Árvore!

Olá gente!

Estou há algum tempo em busca de duas palmeiras ou dois coqueiros entre  5 e 6 metros  para plantar em minha residência. 
Quem convive comigo diariamente não deve aguentar mais me ouvir falar do assunto. No trajeto para o trabalho ou para qualquer outra atividade comento sobre meu encanto por essas espécies.
São tão resistentes, embelezam  casas, praças e outros espaços públicos. Aguentam sol  e chuva intensos,  barulho  e poluição de veículos  e outras barbaridades .

Enfim, as que desejo  colocar em minha futura casa terão vida boa.Prometo!

Já fiz a pesquisa e consegui preços diferenciados, preços elevados.Ainda assim insisto, pois acredito que quanto mais informação tiver, terei a possibilidade de escolher os melhores preço e produto.

Alguém aí por acaso sabe onde consigo dois exemplares  de uma ou de outra espécie acima citada? 


                                                                       Palmeiras em espaços públicos


Há muitas espécies de Palmeiras, uma das mais bonitas é a Palmeira Majestosa de origem africana.Pode medir de 5 a 10 metros,   se destaca pelo conjunto formado por seu tronco quase em forma de garrafa e pela folhagem curvada e voltada para cima."Embeleza  que é uma beleza."(Fonte:Portal das Palmeiras)


                                                         Coqueiros em praia  

No mundo, os coqueiros são cultivados em sua maioria por pequenos agricultores da Ásia, África, América Latina e Pacífico. O coqueiro-gigante, que atinge 18 metros de altura, está no Brasil desde o século 16, enquanto o anão, que bate nos dez metros de altura, chegou por aqui nos anos 20 do século passado.
Além da sombra, a árvore oferece uma fruta bastante apreciada e com diferentes finalidades. Do coco aproveita-se a água, que é bastante saudável pela riqueza de sais minerais. Já sua polpa é utilizada pela indústria para a fabricação de leite de coco e de coco ralado, ingrediente para a elaboração de chocolates, biscoitos, iogurtes e sorvetes, entre outros alimentos.(Fonte: Revista Globo Rural).

Antes da beleza, penso que  uma árvore é sinônimo de equilíbrio,devoção ou até mesmo  agradecimento por tudo de bom que ainda nos resta neste mundo. Uma árvore plantada é uma história para nossas gerações e para gerações futuras de amigos, inimigos e de  quem quer que seja.

O governo cria bolsa auxílio  para tanta coisa,muitas delas sem explicação. Um exemplo é o "Bolsa Preso", que existe desde 1960, mas que nunca "deu" tanto dinheiro quanto nos últimos anos. Só para se ter uma ideia, nos primeiros seis meses do ano o montante ultrapassou R$150 mi. Absurdo!
O valor pode variar de R$612 a R$915, dependendo da
contribuição prévia de cada preso.Em muitos casos,

torna-se um estímulo  ao filho do bandido seguir na vida do crime. 

Daí eu te pergunto.   Por que não criar "Bolsa Árvore"?
O que já existem são  Organizações Não Governamentais, que espalham o verde pelo Brasil através de adoção de árvores por parte dos cidadãos. O valor de cada árvore pode chegar a R$15 . Também há outras  ONGs que trabalham com uma doação anual.

Assistencialismo quem precisa é o meio ambiente e não nós, humanos.

Que   o  valor fosse mínimo ,não importa. Seria um presente para    a fauna e a flora  e para nós.  

Eu quero Bolsa Árvore!

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

O que são pragas?

O título é muito subjetivo. 

Pode ser praga para você um trânsito infernal enfrentado diariamente. Pode ser praga para mim um calor extremo (confesso que prefiro o frio).

Mas as pragas às quais me refiro são lagartas que atingem palmeiras imperiais centenárias das cidades da Região Metropolitana do Vale .

Em São José dos Campos, há pelo menos 20 espécies sendo atingidas por lagartas Brassolis sophorae e Brassolis astyra. Conhecidas como lagartas das palmeiras, elas resultam das  larvas de duas espécies de borboletas. 

Para  a Ong Eco Solidário são consideradas pragas por deixarem quase que sem folhagens árvores centenárias. 

Para a Prefeitura de São José dos Campos a atenção devida tem sido dada,mas o tratamento para conter o avanço da espécie é feito sem tratamento químico. Além disso, a prefeitura diz que a espécie não pode ser combatida pois ajuda na reprodução de pássaros.

Será mesmo que tanto impacto causado ao longo dos anos não irá afetar essas árvores que, mais que históricas, colaboram para o equilíbrio ambiental da região urbana de São José dos Campos?

A Ong Eco Solidário diz que é uma doença que pode ter se alastrado para todas as espécies.

A Prefeitura diz que tem data para acabar. Bom .... pelo menos neste ano o  problema deve chegar ao fim até o fim deste mês. Mas recomeçar em setembro do ano que vem.

Acompanhe o assunto  também com André Miragaia da Eco Solidário ( https://www.facebook.com/andre.miragaia.1?fref=ts ).